Conheça 6 pontos que influenciam os negócios na área da saúde


ambiente-de-negócios

A fim de garantir boas condições ao empreendedorismo e criar novas oportunidades, um ambiente de negócios no setor de saúde tem o poder de gerar parcerias e elevar o nível da discussão na área médico-hospitalar.

Para participar de um ambiente de negócios não é necessário ter um negócio próprio. Ser empreendedor na área de saúde é uma tarefa para qualquer pessoa especializada no setor e que contribua de forma positiva para o crescimento das atividades da área.

Inovação na saúde

O mercado de saúde, ao lado do setor de finanças, está entre os ambientes de negócios mais resistentes à inovação.

O setor oferece muitas oportunidades de colaboração, negócios e parcerias. Porém, a importância de inovar é algo que precisa estar, também, na mente dos agentes.

E é aqui que aparece o valor de um ambiente de negócios: a qualidade desse universo é o que vai influenciar em novos investimentos, parcerias e desenvolvimento.

Confira abaixo 6 estágios importantes para construção de uma rede de negócios:

  • Forças influentes

Em um artigo para a Harvard Business Review, Regina Hezlinger, professora da Harvard Business School, aponta quais os pontos influenciam e, algumas vezes, impedem a criação de novos projetos no setor.

1. Players

Uma conversa entre os players da área da saúde pode ajudar a entender o funcionamento e as necessidades das atividades do setor e isso pode ser decisivo para uma boa estratégia de inovação.

2. Investimento e Precificação

De acordo com a especialista, a inovação apresenta dois desafios relacionados ao financiamento: um é relacionado ao desenvolvimento do projeto em si e, o outro, é sobre quem vai – e quanto- pagar pelo uso do produto ou serviço criado.

3. Legalidade

É importante que empresas e agentes com estratégias de inovação entendam bem o ambiente político-econômico no qual estão inseridos. Afinal, caso não se atentem para isso, podem ocorrer conflitos legais relacionados ao produto ou ao serviço criado.

4. Tecnologia

Para Hezlinger é importante que exista um estudo detalhado da tecnologia como estratégia de vantagem competitiva, pois só assim será possível entender o momento certo para que seja aplicada.

Ela ressalta que uma movimentação muito rápida pode trazer à tona uma possível falta de estrutura para apoio da inovação. Já uma movimentação muito lenta pode ser uma espera longa demais para colocar aquela tecnologia em prática.

5. Foco no Cliente

Uma empresa que reconhece e aproveita o crescente senso de autonomia dos pacientes/consumidores, que aparece com a chegada da internet, pode melhorar consideravelmente a adoção de uma inovação.

6. Prestação de Contas

A necessidade de comprovar segurança a longo prazo, e que os estudos são efetivos, tem um alto valor para a indústria da inovação. A prestação de contas é algo ainda muito recente na área da inovação e precisa ser mais estruturada.

Para a professora da Harvard Business School, ser resiliente, se adaptar rapidamente e acreditar que a inovação em saúde pode resolver muitos problemas que encontramos hoje no sistema do setor são fatores imprescindíveis para o desenvolvimento e uma proposta de valor voltada ao paciente.

Conclusão

Um espaço em que profissionais do setor de saúde possam se desenvolver, ampliar a forma como se comunicam, apresentar e conhecer novas ideias, pode ser um bom caminho para a difusão de inovações da área.

As forças influentes aqui citadas podem ser muito bem desenvolvidas em um  ambiente de negócios. As empresas e empresários da saúde acabam criando  a chance de se conectar às pessoas certas, facilitar e acelerar os processos de inovação, lançar ideias, projetos, produtos e serviços para o mercado.

Compartilhe :
Notícias relacionadas