Acontece na SAHE at home – Regulação e inovação são debatidas no Masterclass de Medicina Diagnóstica

 Acontece na SAHE at home – Regulação e inovação são debatidas no Masterclass de Medicina Diagnóstica

Otávio Gebara, do Hospital Santa Paulo; Wilson Shcolnik , da Abramed; e Felipe Kitamura, da Dasa, participaram das discussões

O maior evento de educação executiva na Saúde da América Latina continua com as atividades a pleno vapor. Nesta quinta-feira (26/1), aconteceu o quarto dia de debates da South American Halth Education (SAHE), excepcionalmente neste ano a SAHE at home, evento 100% online.

O evento, que tem como tema “Lidere a Transformação”, traz quatro masterclasses por dia. Um deles foi o Masterclass de Medicina Diagnóstica, com a curadoria de conteúdos da Diretora Executiva no grupo Dasa e CEO do Alta Excelência Diagnóstica, Claudia Cohn. “Foi um prazer imenso presidir este Masterclass. O evento permitiu que eu criasse a informação mais clara e atual em um momento de tantas notícias diferentes visto no Brasil e no mundo.”

Quem abriu os trabalhos do fórum foi o Secretário-Executivo da Confederação Nacional de Saúde, Bruno Sobral, que debateu sobre a temática “Regulação da Medicina Diagnóstica no Brasil”.

“Acredito que para se ter uma boa regulação no país é preciso ter proporcionalidade entre concorrentes, responsabilidade na justificativa de decisões, consistência entre regras e padrões, transparência no diálogo e foco na solução do problema. ”

Em seguida, aconteceu o debate com o mestre em Saúde Pública e doutorando em patologia e Presidente do Conselho de Administração – ABRAMED – Associação Brasileira de Medicina Diagnóstica, Wilson Shcolnik.

“O segmento da Medicina Diagnóstica vem se atualizando devido a sua importância crucial no setor a partir do momento que contribui para detectar problemas. Sem o diagnóstico não há possibilidade de seguir com a assistência.”

O debate ainda foi moderado pela presidente deste masterclass, Claudia Cohn.

Já na segunda aula do Masterclass, o tema abordado foi “O envelhecimento e o papel do diagnóstico no Brasil e no mundo: Impacto e atitude.” Quem falou sobre foi o Diretor Médico de Value Based e Health Analytics na Dasa, Rafael Canineu.

“O mundo está envelhecendo em ritmo acelerado. Por isso, é preciso avançar no estudo da experiência do paciente, bem como na identificação precoce da doença, e na interoperabilidade de informações e maior investimento em incentivo baseado em valor.”

Para completar a discussão, o Superintendente Médico do Hospital Santa Paula, Otávio Gebara, participou do debate. O executivo afirmou que “fazer as pessoas viverem mais é difícil. Porém, fazer as pessoas viverem melhor, é possível”.

A moderação ficou por conta de Claudia Cohn, presidente deste masterclass.

Encerrando a programação do Masterclass de Medicina Diagnóstica, a última aula do dia falou sobre “Inovação: a visão da transformação de 2020 e o que vem para 2021”. Quem palestrou sobre o tema foi o professor, coordenador do laboratório de inteligência artificial da DASA e médico neurorradiologista na Unifesp, Felipe Kitamura.

“Para se ter uma HUB de inovação é preciso criar opções viáveis hoje para o futuro, pensando sempre que o formato que a organização se encontra hoje, pode não ser o do futuro.”

Em seguida, a aula contou com a participação do radiologista, líder de inovação na Dasa, Márcio Garcia, que acredita na “boa comunicação e clareza nas informações para propiciar o entendimento de todos os players do setor.”

O debate foi moderado por Claudia Cohn, presidente deste masterclass.

 

Clique aqui e confira a agenda de conteúdo para esta semana.

Ainda dá tempo de você participar da Semana da Educação na Saúde.

Clique aqui e se inscreva!