Ricardo Valentim, coordenador do Lais/UFRN, participou da Maratona de Lives da SAHE ’21

 Ricardo Valentim, coordenador do Lais/UFRN, participou da Maratona de Lives da SAHE ’21

 Ricardo Valentim, coordenador do Lais/UFRN, participou da Maratona de Lives da SAHE ’21. Ele foi entrevistado na última sexta-feira, 12 de junho, com transmissão em tempo real pelas redes sociais do Grupo Mídia. Professor e coordenador do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (Lais) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Ricardo também é Embaixador da South America Health Education 2021.

Durante a live, Ricardo Valentim – que é presidente do comitê científico do Masterclass de Inovação em Saúde da SAHE ’21 – falou sobre como é possível desenvolver inovação nas instituições de Saúde. Segundo ele, inovar começa – tanto nas instituições privadas como públicas – com o exercício da escuta.

“Para isso, é necessário ter uma cultura. É importante, no processo inovativo, fazer a escuta, estando aberto a ouvir o funcionário, o paciente, o cliente. Essa escuta é fundamental porque, muitas vezes, o gestor está distante”, sublinhou o coordenador do Lais, ao falar sobre Inovação em Saúde – temática que será abordada em um dos palcos da SAHE ’21.

De acordo com Ricardo Valentim, quando se está próximo do “chão” da instituição, é possível fazer a escuta de todos os atores (stakeholders) que estão envolvidos nos processos da instituição. “É daí que vem a inovação em saúde”, destacou o presidente de um dos comitês da SAHE ’21.

No entanto, Ricardo Valentim ressaltou que de nada adianta a escuta se não há fomento. Se não há estímulo à pesquisa que produz Inovação em Saúde, ou seja, que se transforma em pesquisa aplicada. “E é essa inovação que interessa para a transformação nas corporações, o fomento a ela é outra chave de indução”, salientou o presidente de um dos comitês da SAHE ’21. “De nada adianta ter cultura da escuta se não há fomento à inovação, à pesquisa.”

Outra questão importante para o desenvolvimento inovativo é o financiamento, que é decisivo para a promoção da inovação. De acordo com Ricardo Valentim, é por isso que é importante que tenha nas instituições espaços para que esse fomento possa ser aplicado e o colaborador, que faz parte da instituição, possa desenvolver algo que melhore os processos de trabalho e resulte no aprimoramento e no ganho. “Tudo que é inovador vai sempre gerar o ganho”, sublinhou o presidente do comitê científico de Inovação em Saúde da SAHE ’21.

Para Ricardo Valentim, quando se observa esse tema em uma instituição de saúde, é importante se perguntar: a inovação está, verdadeiramente, na cultura, DNA da instituição. “Esse processos de escuta tem que estar internalizado na cultura inovativa da instituição, e com disponibilidade de financiamento para isso”, frisou o coordenadou do Lais, que está à frente da organização da grade de conteúdo do Masterclasse de Inovação em Saúde da SAHE ’21.

Confira abaixo na íntegra a entrevista de Ricardo Valentim, presidente do comitê científico do Masterclass de Inovação em Saúde da SAHE ’21:

Para participar do Masterclass de Inovação em Saúde, bem como de outros eventos da SAHE ’21, não deixe de adquirir o seu passaporte.

ADQUIRA SEU PASSAPORTE PARA A NOVA SAHE ’21

SERVIÇO:

Evento: SAHE 2021 – South America Health Education
Tema: “Lidere a Transformação”
LocalCentro de Eventos Anhembi – São Paulo (SP)
Data: 26, 27 e 28 de janeiro de 2021
Contato: (16) 3913-9800/ eventos@sahe.com.br
Mais informaçõeswww.sahe.com.br

Embaixadores da SAHE ’21: – Valdir Ventura, CEO e presidente do Grupo São Cristóvão Saúde, pelo estado de São Paulo; Erika Vrandecic, diretora do Biocor Instituto, representando Minas Gerais; e Ricardo Valentim, coordenador do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde da UFRN (Lais), pelo Rio Grande do Norte.

#Sahe21; #RicardoValentim; #InovacaoEmSaude; #Lais